Qual a cor desse vestido?


Link do Post

A vulgarização do termo "clássico" em Santa Catarina

Divulgação / Avaí FC
Passado o jogo contra o Guarani, onde o Avaí criou, teve lampejos de bom futebol, perdeu gols feitos, empatou e continua na vergonhosa lanterna, chegamos nas vésperas de mais um Avaí x Figueirense.
Muito me incomoda quando vejo a rede de televisão detentora dos direitos de transmissão do Catarinense 2015, chamar todos os jogos que envolvem Chapecoense, Joinville, Criciúma, Avaí e Figueirense de "clássicos". Na boa: chamar esses jogos de "clássico" é única e exclusivamente pela finalidade comercial.
Em que planeta Chapecoense x Joinville pode ser considerado um clássico?
Tentei encontrar o "critério" adotado por eles: será que consideram clássico quando envolve times que estão jogando ou já jogaram a Série A? Partindo deste pressuposto, imagino que a mesma rede de televisão deve orientar os seus profissionais a chamar São Paulo x Ponte Preta ou Corinthains x São Caetano de clássicos paulistas.
Ano passado, quando o Criciúma foi rebaixado para Série B e o Joinville foi promovido para Série A, será que houve gozação por parte dos torcedores do time da cidade das flores? Claro que não.
Pergunte à um torcedor do Figueirense como foi sua vida em 2008, quando o Avaí subiu e o time do estreito foi rebaixado... Aliás, outdoors são comuns na região da grande Florianópolis.
Mas afinal, o seu time joga clássico ou não?
Como não existe uma regra para quantificar o que significa o sentimento de um clássico, alguns podem afirmar que só é considerado clássico um jogo entre times da mesma cidade. Mas não é tão simples assim, já que estaríamos excluindo o San-São (Santos x São Paulo), ou até mesmo o grandioso Barcelona x Real Madrid.
Mas se não é mesma cidade, porque estes jogos são considerados clássicos e não apenas "grandes jogos"? O que diferencia um Avaí x Figueirense de um Criciúma x Joinville?
Entenda: não estou dizendo que este ou aquele time é menor que o meu. O que me refiro é que o sentimento que envolve a partida de futebol é diferenciado. E muito.
O meu Avaí também joga contra o Criciúma e Joinville. E sim, estes jogos são grandes, atraem mais torcida e são mais aguardados do que jogos contra Metropolitano, Guarani, entre outros ditos "menores". Mas se eu disser que este sentimento diferenciado não chega à 10% do que sentimos em um jogo contra nosso maior rival? Aí talvez podemos começar a mensurar o que diferencia um clássico de um grande jogo.
O torcedor mais antigo do Tigre, sabe bem o que é isso: quando existia um Tubarão x Criciúma, a rivalidade que já existia entre as duas cidades vizinhas, era colocada também nas arquibancadas. Era o clássico do sul do estado.
Ao nobre leitor que ainda tem alguma dúvida, fiz as questões abaixo que podem ajudá-lo a identificar se você participa de um clássico ou apenas de um grande jogo:

  • A primeira coisa que você faz quando sai a tabela do campeonato é ver quando vai ser o jogo contra o seu rival no clássico e em qual estádio será o jogo?
  • A cidade do seu time pára na semana do jogo?
  • Começam as provocações pelo menos uma semana antes do jogo?
  • E depois do jogo, se seu time perde, tem vontade de ficar em casa para fugir das gozações durante uma semana?
  • E se ganha? Passa uma semana inteira fazendo piada com o adversário?
  • Entre ser campeão catarinense em cima do seu adversário ou subir para a Série A, você prefere a primeira opção?
  • Você faz a mesma torcida pro seu time ganhar e pro adversário perder, mesmo que estejam em jogos diferentes, em competições diferentes, com adversários diferentes?
  • Perder para este time é muito pior do que perder para qualquer outro time?
  • Ganhar deste time é muito melhor do que ganhar de qualquer outro time?


Respondeu "não" para pelo menos uma das perguntas acima? Então lamento lhe informar, mas seu time não joga clássicos. Talvez, grandes jogos contra grandes times, mas clássicos, talvez um dia.
Mas fique tranquilo. Torcer para um time que não tem clássicos, não é um demérito, é apenas um acidente de percurso durante a história do seu clube. Seja por decisões dos cartolas do passado, transformando rivalidades históricas em fusões para fugir de problemas financeiros de uma maneira fácil ou simplesmente, por falta de oportunidade.

Afinal, é sempre bom lembrar: fazer parte de um clássico, não é para quem quer reivindicar este título. É apenas para um seleto grupo que tem este direito.
O jogo deste domingo é considerado um clássico por qualquer pessoa em qualquer parte do mundo e não por somente os envolvidos, como acontece entre Criciúma, Joinville e Chapecoense por exemplo. Nenhum outro jogo no estado reúne quase 100 anos de história e rivalidade, tantos títulos somados e as duas maiores torcidas. Avaí e Figueirense é o único clássico de Santa Catarina.
Via ESPNFC

Link do Post

Os gols de Avaí 2 x 2 Guarani

Link do Post

Só nos resta o clássico...


Depois de um empate apático diante do Guarani da Palhoça, o que restou para o Avaí é o clássico. Como nosso atacante, André Lima disse, após o melancólico empate ontem, o Avaí não é time para estar nesta situação. Por enquanto temos que nos contentar com isso infelizmente.
O Avaí não vem mostrando em campo a qualidade fora dele, a qual André Lima se referiu. Marquinhos Santos faz falta? Acredito que sim, mas vamos descobrir domingo no maior clássico de Santa Catarina. Um reforço e tanto para Geninho, que vêm lutando para dar qualidade a um time que até o momento não passou de mediano no Chevetão. Só nos resta o clássico, e mesmo com toda a euforia do lado alvinegro, o retrospecto nos favorece. Nos últimos clássicos a equipe que estava pior na tabela sempre se superou e rumou ao sucesso. É isso que todo torcedor espera domingo, uma vitória e uma amostra do que pode ser o Avaí no restante da temporada...

Link do Post

Fazendo as contas...

O que eu tenho visto ultimamente é muito torcedor fazendo as contas, ou imaginando possibilidades para que o Avaí consiga chegar ao hexagonal final. De acordo com o Esteves do Blog Sou Avaiano aqui, o Leão ainda teria chances matemáticas de se classificar se o Marcílio dias perdesse 6 pontos na tabela. Porém mesmo vencendo as três partidas restantes, uma delas um clássico na Ressacada, seria quase como achar uma lâmpada mágica no Carianos e poder fazer 3 pedidos.
Deixar de acreditar? Jamais! O Avaí sempre foi e sempre será um time que se supera nos momentos complicados, como o acesso à séria A no ano passado, bem como outros feitos do passado. O principal agora no meu ver é jogar bem, vencer as três partidas, e principalmente ganhar o clássico bem. Mesmo não classificando caso vença as três partidas, ganhar o clássico dará uma moral a equipe para a continuidade do ano, mesmo com todos os erros da diretoria, uma vitória dará moral não só ao elenco como ao treinador, que vem sendo muito questionado pelos resultados momentâneos.

Link do Post

Ninguém merece...

Em pleno ano de 2015, quando já desfrutamos de diversos avanços tecnológicos e somos capazes de montar uma planilha no excel, eis que nós, avaianos, temos que lidar com a falta de competência da diretoria que, obrigatoriamente, deveria dominar uma matéria que qualquer dirigente da várzea já domina há anos: inscrição de atletas.
Estamos nos referindo a um clube de série A, com história, patrimônio e com uma torcida das mais apaixonadas, custava ter um maior cuidado para não virarmos a chacota da Champions League catarinense? Da próxima vez, colem um lembrete no monitor, na geladeira, coloquem compromisso na agenda do smartphone, peçam para o vizinho lembrar, só não venham com (falta de) atitudes que façam o Avaí pagar - abrindo mão de um campeonato -, além de ter a imagem manchada de tal forma que fica inevitável que não nos tirem para amadores.

Link do Post

Explicaciones del presidente

El servidor no ha podido generar el contrato el viernes y dijeron que el departamento de fútbol que estaba bien. De hecho, no podría haber estado relacionado. La liberación del ex club llegó con tiempo, pero no fue un error de la persona a cargo de generar el contrato. En segundo lugar, hubo un error en la última comunicación con el departamento de fútbol. Sabemos que el resultado de la pérdida de seis puntos y no me avergüenzo de venir aquí. Hubo, sí, un error humano. Se establece este error, los responsables serán castigados en la medida del error y el daño al Avaí, el daño a la imagen, financiera, con el almacenaje para no pasar al hexagonal. El tribunal no ordenó, pero debe observarse las reglas. No vamos a luchar para evitar que esto suceda, el jugador no estaba en el contrato. Vamos a jugar el cuadrangular con gran honor y Avaí no disminuirá por un lamentable error, pero con la posibilidad de aprender.
El Avaí es una institución y la vida no termina. Es una plaza para luchar contra el descenso y no llame a la "muerte" porque nadie muere. Brasil tiene también la Copa y la Serie A. Tenemos que admitir que fue aquí en el interior y lo vi. Dentro de esta tranquilidad que se hace en el Avaí, no voy a pasar la espada y decapitado. Cualquier persona que tenga la culpa en realidad ser castigado y no es el momento de tomar decisiones serias. Es para identificar a los culpables, es el caso de dimisión, incluso para las personas directamente involucradas. No vamos a medir la orden. Hay un departamento de registro que la otorga y pide la formación de contratos, enviado por el departamento de fútbol. El muchacho tenía registro de generarlo y no lo hizo. Carlos Arini y Chico Lins no tienen la culpa de esto, ya que siempre fue mucho más allá del departamento de registro.
El ventilador puede estar seguro de que los próximos partidos de la fase de clasificación, para que vengan, Avaí no perder adherencia. Los jugadores dijeron que están con el Avaí y los aficionados pueden estar seguros de que es chocante para nosotros. Yo soy partidario de Avaí y estaba muy molesto. Pero vamos a implementar otra forma en el procedimiento de registro por lo que hay una mayor demanda. Allí estaba la información y luego no lo hizo. No he hablado con los jugadores, he recibido mensajes de los atletas que son sentidos. Pero Avaí se detiene allí. No haciendo uso de tierra quemada. Por supuesto que no lo acepto, pero sucedió y vamos a superar.
Fonte: Globo.com

Link do Post

Estróva Kiridu

Qualquer semelhança com o momento atual do clube é um mero acaso!

Link do Post

Com jogador irregular, Avaí fica com pontuação negativa

Presidente Nilton Macedo assume o erro: Avaí deverá perder 6 pontos no Catarinense
Divulgação Avaí FC
Eu já tinha um texto pronto falando que enfim o Avaí venceu sua primeira partida no Campeonato Catarinense (4x3 fora de casa contra o Marcílio Dias), que é vergonhoso a Federação Catarinense de Futebol permitir um estádio sem condições como aquele de Camboriú e que agora a expectativa era confirmar essa melhor fase vencendo suas últimas partidas - incluindo o clássico - para encaminhar a classificação.
Mas eis que na noite de ontem cai uma bomba na Ressacada: na vitória contra o Marcílio Dias, o zagueiro Antônio Carlos do Avaí (aquele mesmo envolvido no episódio de injúria racial) estaria irregular e caso isso se confirme, o Avaí perde 6 pontos, ficando com humilhante -1 (sim, "um ponto negativo") na tabela de classificação.
E não termina por aí: a causa da irregularidade seria simplesmente a falta de alguém da Ressacada "lembrar" de registrar o jogador. É inconcebível e inadmissível um clube de futebol deixar um erro tão grotesto ocorrer. Ainda mais quando este clube está na Série A, ou seja, é um dos 20 clubes mais valorizados do país onde a última Copa do Mundo de Futebol foi realizada.
E vale lembrar que o Avaí é o único clube do Brasil com certificação ISO 9001. E mesmo assim, parece que não tem um simples checklist para conferência da situação dos atletas, um processo bem definido e muito menos orientação à seus colaboradores na boa utilização dos processos internos. Pra que um Sistema de Gestão da Qualidade se nos comportamos pior do que um time amador?
Ah Fábio, mas a ISO fortalece a marca, dá credibilidade e ajuda a captar patrocinadores!
Sim, mas pelo jeito não no caso do Avaí: estamos há 1 ano e 2 meses, ou seja, desde que a atual diretoria assumiu, sem um patrocínio master nas camisas. No primeiro semestre do ano passado, estampamos a Caixa Econômica Federal de forma gratuita, já que houve um problema com as certidões negativas. Já no segundo semestre, foi a vez da Chinesa ICT/Jinggong estampar sua marca, porém sem nunca pagar um centavo ao clube avaiano. Esta foi para a justiça.
Essa falta de habilidade dos dirigentes azurras em fechar novas parcerias pode já estar afetando o dia-a-dia do clube.
Ano passado, quando enfrentamos os problemas de salários atrasados, a diretoria lutou e mereceu elogios pela habilidade de conseguir quitar as dívidas, já que herdou um legado financeiro complicado da gestão anterior.
Mas este ano, salvo algumas dívidas administráveis, o passivo foi zerado e o planejamento foi feito com base na gorda verba da Série A. Assim sendo, atrasos salariais são inadmissíveis. Aliás, não quero nem sonhar com a possibilidade dos atletas avaianos estarem com seus vencimentos atrasados. Se assim for, ao contrário do ano passado, a diretoria é a única e total culpada pelo baixo rendimento no Catarinense deste ano, onde eu não esperava ver o Avaí líder, mas pelo menos lutando pela parte de cima da tabela e não amargurando a lanterna após ser humilhado pelo pequeno Metropolitano em plena Ressacada.
A diretoria avaiana está com dificuldades de fechar um patrocinador master? Que feche oito patrocínios pequenos. Não me importa se jogaremos com um "macacão de fórmula 1" ou um "abadá de carnaval". O que importa são vitórias e títulos!
São muitos erros ao longo dos anos. As vezes, a vontade é de se envolver menos com o clube e virar um torcedor "modinha", aquele que só vai na boa fase, em dia de sol e contra times maiores.
Errar é humano, mas errar muitas vezes é incompetência.
Via ESPNFC

Link do Post

Falhas inadmissíveis!


Onde a atual diretoria pretende chegar com a administração que vem fazendo?
Contratações mal sucedidas, Chevetão 2014 vergonhoso, uma Série B 2014 que NUNCA mais o avaiano quer assistir... 
O Avaí, bem da verdade, só está onde está por (de)mérito de seus rivais, que o colocaram na Série A 2015!!!
À época das eleições em dezembro de 2013, eu era um defensor ferrenho da reeleição da chapa que hoje está à frente do Leão. Hoje sinto aquela sensação chata de língua queimada... Será que a diretoria sob a batuta de Fernando Bastos não seria mais competente? (o que não é nem um pouco difícil).
Bem, torcedor, tudo isso que escrevi aqui é apenas para levantar esta questão acerca da escalação irregular de Antônio Carlos.
Se leu aos montes, em vários canais esportivos, que esta situação não se vê nem na várzea!!!!
Gostaria então, de entender no que a diretoria do maior do estado vem trabalhando. Quem é o irresponsável que permite uma gafe dessas? Em que mundo o Avaí F.C. está minha gente?
Não cabem outras palavras a não ser as de indignação de toda uma torcida que vem sendo traída pelo seu grande amor. 
Não bastassem as péssimas atuações que o torcedor vem assistindo com o time em campo, agora percebemos também uma pavorosa situação de uma administração que se orgulha de ter a ISO9001. Certificação que deveria representar um bom trabalho em todos os setores na parte de gestão (fail!), de atendimento (fail!), de recepção (fail!), infraestrutura e manutenção.
Estamos caminhando a passos largos, para a vergonha e para uma era tenebrosa, daquelas que nem o torcedor mais pessimista imaginava ver em um clube que acaba de sair de uma fase de glórias e conquistas...
O buraco é logo ali!

Link do Post

Reforços chegando

Hoje nosso ilustre presidente concedeu entrevista falando sobre a possível contratação de três medalhões do futebol brasileiro para a temporada 2015. Na minha opinião já deveriam ter sido contratados desde o inicio da temporada, mas a politica atual não permitia jogadores acima do "teto" do clube.
O fato é que até o momento o Avaí não mostrou um futebol de série A, e já tem torcedor preocupado com o futuro. Se continuarmos a esperar jogadores a altura do Avaí, diga-se "teto" que o clube possa pagar, sem entrosamento com a equipe atual de nada adiantará raspar o fundo da conta no meio do ano para tentar salvar a equipe de um possível rebaixamento. No momento o único atleta que se encaixaria no teto do Leão e que faria jus ao seu salário seria nosso amigo, torcedor do co irmão, mas que sabe apreciar as coisas boas da vida (na foto com a camisa do Leão dando entrevista depois de uma pelada da galera na Ressacada) e sabe fazer gol também, Nikolas Bottós. Fica a dica Presidente!

Link do Post

Uma vitória necessária

Podemos dizer que o Avaí deu o ponta pé inicial no Chevetão este final de semana. Fez um primeiro tempo excelente, dois gols de bola aérea, dois belos gols de William Rocha. Anderson Lopes também mostrou que tem qualidade e que o banco lhe fez bem. Entrou e decretou o resultado final da partida.
É claro que este ainda não é aquele Avaí que o torcedor costuma ver, o time jogou com raça mas ainda falta muita qualidade. Contudo o resultado foi bom e parece que tem torcedor no estreito já preocupado com uma futura classificação do Leão. Pelo visto o fantasma de 2012 volta a assombrar o Scarpelli.

Link do Post

É tudo ou nada!

Avaí e Metropolitano travam um duelo hoje na Ressacada visando fugir das últimas colocações. O Leão ocupa hoje, pasmem, a última posição da tabela. Até o momento o time Azurra não conseguiu ser nem a sombra do time do ano passado, isso que ano passado nem fomos tão bem assim. Muitas são as lacunas na equipe ainda, André Lima não engrenou, o meio de campo continua sem referência, e Marquinhos continua sendo o preferido para retornar à campo, porém só deve voltar no clássico. O Avaí têm três jogos cruciais para respirar e quem sabe se classificar para o hexagonal. Hoje todos os caminhos levam à Ressacada!

Link do Post

Mudaram as estações, nada mudou...

Da esquerda p/ direita de cima p/ baixo: Evando, Jacaré, Juti,
Saul Oliveira e Willian.
Entra ano, sai ano, e após a saída de Willian nosso elenco ainda não decifrou o doce sabor de ver um camisa nove de ofício, disparando em direção a meta adversária com aquela certeza de gol que os ídolos da imagem ao lado nos proporcionavam.
Este ano o Avaí veio com fortes promessas. Ao final de um 2014 melancólico, sofrido, daqueles que o torcedor avaiano sabe que tem que procurar um cardiologista, vimos a luz no fim do túnel e com o acesso à Série A, percebemos um caixa um pouco mais tranquilo que o do ano passado para efetuar contratações.
O torcedor vinha crente num time com grandes mudanças. De fato, percebo um elenco muito mais qualificado neste ano, mas continuamos com nosso calcanhar de Aquiles lá na frente. 
A zaga trabalhou bem com a saída de Willian (não sei o que fazer) Rocha, As laterais vem sendo lapidadas, e Eltinho, na minha opinião, é quem está dando o ritmo. Nosso meio está carente do retorno de nosso ídolo M10, mas não é de todo o mal. Ainda apresenta resultados. 
No último jogo vimos um Avaí com uma zaga bem postada, posse de bola, qualidade nos passes, mas infelizmente sem uma referência no ataque.
Hoje contra o líder embalado, o Avaí vai ter que sair na frente no marcador, ampliar, e mostrar qualidade para segurar a vantagem e somar 3 pontos. Caso contrário, vejo grandes dificuldades de disputa de título. 
Obrigação para o maior de Santa Catarina!
O que falta para engatilharmos neste campeonato? 

Minha opinião? 
Ou a diretoria trás de uma vez por todas um bom atacante, em plenas condições de jogo, ou alguém do elenco bate no peito e diz: TOCA PRA MIM QUE EU FAÇO!

Link do Post

Tropeçamos no começo de 2015, mas o futuro é promissor

Orlando Pereira / Atlético Ibirama
Passaram-se três rodadas no Campeonato Catarinense 2015 e até agora, acumulamos dois empates (JEC e Criciúma) e uma derrota (Atlético de Ibirama), o que nos leva à oitava posição da competição.
Mesmo com um início tão fraco na tabela, vejo o time do Avaí mostrando a qualidade que não apresentava há pelo menos três anos: antes, víamos um time sem pegada, sem vontade e sem qualidade. Errar passes de poucos metros era uma constante. Hoje, consigo ver que a maioria dos contratados estão dizendo à que vieram. Fica cada vez mais evidente que Geninho está montando um time de qualidade. Outro fator positivo é o condicionamento físico: não é raro ver os jogadores correndo nos acréscimos.
É claro que o leitor pode se perguntar o motivo do time não ter vencido ainda.
O Avaí é um time em formação. No último jogo por exemplo, tivemos sete jogadores novos em campo. Os jogadores estão ainda se conhecendo, se entrosando e ainda há a possibilidade de novas contratações (Jorge Henrique,  do Internacional por exemplo, é cogitado) e também de retornos de jogadores suspensos, como Marquinhos e Roberto.
A tendência é que este time melhore no decorrer do campeonato e esteja mais azeitado para Série A de 2015. E que sempre seja lembrado: o grande objetivo do Avaí este ano é permanecer na elite do futebol brasileiro para 2016. E mesmo que eu acredite que este Catarinense sirva apenas para formar e encaixar o time para o Brasileirão, acredito que classificaremos para a próxima etapa (sim, ainda aos trancos e barrancos) e surpreenderemos na etapa final.
Não estranhem se o Mais Vezes Campeão de Santa Catarina iniciar a Série A com sua décima sétima estrela de campeão catarinense no peito.
Via ESPNFC

Link do Post

Já comprou a primeira edição da revista do Marinheiro?


Link do Post

Em estreia, Avaí é melhor e leva ponto para casa

José Carlos Fornér/JEC
O favoritismo do Joinville era claro: além de ter se reforçado muito bem para este ano, estava jogando no estádio da prefeitura local com sua torcida empolgada após o título da Série B 2014. E esta empolgação se refletiu dentro de campo: pressão total do time da casa e dois gols antes da metade do primeiro tempo.
Os jogadores avaianos pareciam demonstrar um misto de nervosismo e falta de ritmo, algo natural no começo de temporada. Mas no fim do primeiro tempo, após jogada de Eduardo Neto, o bom atacante Anderson Lopes marcou de cabeça, fazendo o primeiro gol avaiano no Catarinense 2015.
Já no segundo tempo, o domínio total foi do time avaiano: enquanto o JEC ficava acuado se defendendo, o Avaí pressionava até que Anderson Lopes marcou o seu segundo gol após belo passe de calcanhar de Rômulo.
A pressão continuou, mas graças ao confuso árbitro Rodrigo D'Alonso Ferreira um pênalti claro sofrido por Ronaldo Alves após empurrão de Naldo não foi marcado à favor do Avaí.
No fim, dois jogadores do Avaí e um do Joinville foram corretament expulsos:  William Rocha por cotovelada e Eduardo Neto e Rogério após se estranharem.
Os melhores em campo foram três velhos conhecidos da torcida azurra: Eltinho, apoiando bem na lateral esquerda, Eduardo Neto, proporcionando tranquilidade na cozinha avaiana e Anderson Lopes fazendo o que um atacante precisa fazer: gols.
O jogador mais fora de sintonia foi William Rocha. É cedo para dizer se o atleta tem qualidade ou não, mas avaliando por este jogo, ele estava bastante fora de ritmo, sem tempo de bola. Esperamos que após cumprir sua suspensão, mostre um futebol mais consistente.
Embora o Avaí tenha jogado melhor que o time da casa, como eu havia comentado antes do jogo, trouxemos um importante ponto fora de casa neste campeonato de tiro curto. E o próximo compromisso já será na quinta-feira, às 19h30 na Ressacada, diante do Criciúma.
Eu estarei lá! E tu, torcedor avaiano?
Via ESPNFC

Link do Post

Enfim, o maior de Santa Catarina está de volta

Foto: Jamira Furlani / Avai FC
Um longo período de férias
Além do nascimento do meu filho (sim, mais um avaiano neste planeta!), muita coisa aconteceu desde que o Avaí subiu dentro de campo. O América-MG tentou subir pelo tapetão, mas não conseguiu. Ocorreu também a morte do ex-presidente João Nilson Zunino, que vinha lutando contra um câncer e foi responsável pela reestruturação do patrimônio avaiano.
Imprensa de Florianópolis sem bússola
Parece que finalmente o Avaí conseguiu descobrir quem era o "X9 da Ressacada", aquele que deixava vazar as informações de dentro do clube.
Durante a pré-temporada do Avaí, que foi realizada no município de Águas Mornas na grande Florianópolis, a imprensa da capital aprontou das suas: chegaram a dar como certa a vinda de Ronaldinho Gaúcho para o Avaí (sim, isso mesmo) e também o acerto do retorno do atacante William Batoré, ex-ídolo avaiano, porém com salário acima do teto de R$ 60 mil mensais estipulado pelo clube. Claro, todos desmentidos pela diretoria.
Arrumando a casa
Dentro das suas limitações financeiras, o Avaí fez boas contratações. O destaque foi o atacante André Lima, parado há quase dois anos é verdade, mas que tem um futebol de primeira e que deve estar bem fisicamente em três rodadas. Outra contratação de destaque foi o xerifão Jéci, ex-Coritiba e que estava havia três anos no futebol japonês. Este deve estrear também mais pra frente.
Clássico só tem um em Santa Catarina
Insistem em chamar JEC x Avaí de clássico, quando o único clássico de Santa Catarina é Avaí x Figueirense. Mas sobre esse assunto, dedicarei atenção especial em outro post.
Para o jogo de estreia no Catarinense contra o JEC na arena da prefeitura de Joinville, o Avaí vai com um time praticamente novo: além da grande reformulação no elenco, alguns jogadores cumprirão suspensão imposta pelo TJD depois da confusão do clássico no catarinense do ano passado. Marquinhos tem sete jogos para cumprir, o atacante Roberto tem quatro e o volante Eduardo Costa tem dois.
Assim sendo, o time que deve entrar em campo conta com apenas cinco remanescentes do que subiu para Série A: Vagner, Pablo, Ronaldo Alves, William Rocha e Eltinho; Uelliton, Claudinei, Eduardo Neto e Renan Oliveira; Anderson Lopes e Rômulo.
Os favoritos
O Joinville e a Chapecoense são os dois times que melhor se reforçaram e por isso, devem disputar o título. Embora o retrospecto recente diga que o Avaí sempre deixe o estádio municipal de Joinville calado após trazer três pontos na bagagem, um empate será um excelente resultado.
Enquanto não sabemos se o time do Avaí vai funcionar dentro de campo, fica aqui a nossa torcida! Vamo vamo Avaê!
Via ESPNFC

Link do Post

Coisas que só o Tricolor do estreito faz por você!


Link do Post

O Zunino subiu

Existe um Avaí antes e outro depois de Zunino
Reprodução / Avaí FC
Depois de alguns anos lutando contra um câncer, o ex-presidente João Nilson Zunino morreu na noite de ontem.
Dentre muitos erros e acertos, Zunino foi um dos melhores presidentes da história avaiana. Além de reestruturar completamente o patrimônio do Avaí, aumentando e modernizando a Ressacada e o Centro de Formação de Atletas (CFA), subiu pra Série A em 2008, foi o responsável pela melhor campanha de um clube catarinense na elite do futebol nacional quando chegamos em sexto lugar em 2009 e esteve à frente da melhor campanha de um clube do estado em uma competição internacional, quando avançamos até a quarta fase da Copa Sul Americana de 2010.
Em outubro de 2009 eu tive a oportunidade única de bater um papo descontraído com o presidente durante algumas horas. Em parceria com o Rogério Cavallazzi e o Esteves Júnior, fizemos o programa BlueCast (um podcast que no momento está em standby e que contava com transmissão ao vivo e participação direta do público) e neste, o presidente contou várias passagens do dia-a-dia à frente do maior clube de Santa Catarina. Para matar a saudade, as três partes do programa estão disponíveis: parte 1, parte 2 e parte 3.

Fábio Trierveiler, João Nilson Zunino, Esteves Júnior e Rogério Cavallazzi na edição 7 do BlueCast
Arte e foto: Esteves Junior
O presidente era um cara simples: como costumávamos fazer sempre após os Bluecasts, eu, o Esteves e o Rogério pedíamos comida e aproveitávamos para compartilhar nossas impressões do programa realizado e já com ideias para o próximo. Naquela edição, quando o presidente chegou ao nosso "estúdio", perguntamos se ele queria jantar conosco e ele, muito educado, falou que havia acabado de chegar de viagem e em tom de brincadeira, disse que teria que jantar com sua esposa, senão haveria briga e por isso recusou. Mas ao fim do programa, quando a comida chegou e ele sentiu o aroma no ar, mudou de ideia: não só jantou conosco como repetiu o prato. E durante o jantar, com praticamente meio ano de antecedência, ele nos confidenciou:
- "Peço sigilo, mas para o ano que vem, nós traremos o Sávio pra Ressacada. O plano é que ele jogue um ou dois anos e depois disso, entre para a diretoria avaiana."
A nossa empolgação com uma contratação desse porte foi gigantesca. De fato, Sávio foi contratado na temporada seguinte, mas infelizmente, não teve um rendimento tão bom dentro dos gramados e o plano de Zunino precisou ser encurtado. Assim era o presidente: um cara simples e que sem cerimônias, compartilhava a intimidade dos bastidores da Ressacada com todo e qualquer torcedor avaiano.
João Nilson Zunino era um cara do bem, sem a maldade que o futebol precisa e até mesmo por usa inocência, falhou algumas vezes, colocou dinheiro do próprio bolso em outras, mas conquistou o sucesso à frente do Avaí Futebol Clube. Como presidente, o critiquei por diversas vezes, mas também o exaltei nos seus inúmeros acertos. Como pessoa, do pouco que o conheci, só tenho boas lembranças. Sem dúvidas, uma perda gigantesca para todos nós, mas que deixou um legado inesquecível para a maior torcida de Santa Catarina.
Vá em paz, presidente.
Via ESPNFC

Link do Post